Lisboa E-Nova - Agência de Energia-Ambiente de Lisboa

Iniciar Sessão
Português (pt-PT)English (United Kingdom)
Home » Workshops » 2014 » Workshop "Promoção de sistemas solares térmicos em edifícios residenciais existentes"

Workshop "Promoção de sistemas solares térmicos em edifícios residenciais existentes"

Organização:                                                                       Projecto:

                                           

Data: 7 de Maio 2014

Local: Centro de Informação Urbana de Lisboa – Picoas Plaza (Rua do Viriato, 13, Núcleo 6-E 1º)

Público-alvo: Especialistas em sistemas solares térmicos, condomínios, empresas gestoras de condomínio, indústria, agências de energia, profissionais da área do urbanismo, ordenamento do território, engenharia e arquitectura Técnicos de Câmaras Municipais.

Inscrições: Gratuitas. Através do formulário on-line.

Programa:

Hora

Tema

Orador

17h30

Registo dos participantes

 

17h45

Lisboa Cidade Solar

Teresa Almeida

CML (Coordenadora da Missão Lx-Europa 2020)

18h00

Promoção de sistemas solares em edifícios residenciais existentes

Miguel Águas
Lisboa E-Nova

18h40 

Análise técnica e económica de sistemas solares térmicos – soluções técnicas e inovadoras 

Gonçalo Calcinha

Especialista em Solar Térmico

19h20

Diálogo e Encerramento


Enquadramento:

O projecto UrbanSol Plus pretende promover a adopção de sistemas solares térmicos em prédios de habitação existentes e edifícios classificados.

Na actual conjuntura energética, é imperativo estudar soluções que permitam compatibilizar e optimizar os recursos existentes com as necessidades energéticas inerentes à utilização de edifícios. Neste contexto, a Comissão Europeia aprovou a Directiva 2009/28/EC, em que reforça esta necessidade e define metas para a produção local de energia em edifícios a partir de tecnologias de aproveitamento de energias renováveis. Esta solicitação é válida tanto para novos edifícios como para edifícios alvo de grandes reabilitações, pelo que faz sentido, no actual panorama do mercado imobiliário em que as taxas associadas à nova construção são cada vez mais reduzidas, juntar esforços na análise de oportunidades no património edificado existente.

Motivados por este enquadramento são já vários os países que desenvolvem projectos com vista a abordar esta temática, nomeadamente da integração de tecnologias de aproveitamento de energias renováveis em edifícios existentes. Dentro destes a utilização de sistemas solares térmicos é paradigmática, quer pelo enquadramento nacional que torna obrigatória a sua instalação em novos edifícios e grandes reabilitações, quer pelos diversos programas de incentivo que têm sido implementados nesta área.

Em Lisboa, foi elaborada uma estratégia de desenvolvimento que contempla as vantagens, desvantagens, oportunidades e ameaças à implementação de sistemas solares térmicos em Lisboa, os principais actores envolvidos, a ligação à industria nacional, promovida pela APISOLAR. Finalmente, foi elaborado um plano exemplificativo, com os passos necessários à instalação destes sistemas no bairro de Telheiras.

O desafio em edifícios multi-residenciais (prédios de habitação) coloca-se ao nível dos condomínios, da harmonização da solução que melhor serve os interesses dos ocupantes (p.ex. na divisão de custos e facturação pelos condóminos), da infra-estrutura técnica de produção e distribuição de energia térmica e do modelo de negócio que pode ser promovido mediante cada solução e com diferentes parceiros de gestão e manutenção do sistema.

Este workshop final do projecto pretende dotar os participantes com as ferramentas e esclarecimentos necessários para a tomada de decisão no processo de reabilitação de prédios residenciais, com vista à instalação de sistemas solares térmicos, funcionando como alavanca para o projecto estruturante do Município no quadro do programa Lx-Europa 2020: Lisboa Cidade Solar.

 

A responsabilidade pelo teor do conteúdo deste documento é da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Ele não reflecte necessariamente a opinião das Comunidades Europeias. A Comissão Europeia não é responsável por qualquer uso que possa ser feito da informação contida neste documento.

form 16  

Iniciar Sessão